Home Tecnologia Nissan testa no Japão primeiro carro da marca sem motorista

Nissan testa no Japão primeiro carro da marca sem motorista

Nissan testa no Japão primeiro carro da marca sem motorista

Sabe aquela cena futurista onde você entra no carro, diz para onde quer ir e ele te leva, sem que você tenha que dirigir? Então, esta semana a Nissan realizou o primeiro teste de um carro sem motorista em uma via expressa japonesa.  O Nissan Leaf, veiculo 100% elétrico é equipado com sistema de motorista autônomo que permite que ele dirija, tem intervenção de ninguém.

Além da Nissan, outras empresas como a Mercedes-Bens e até o Google já estão testando seus modelos.

O Nissan LEAF usado no teste é o primeiro veículo com sistema de motorista autônomo a ter autorização para ser emplacado e, assim, poder andar no Japão. O protótipo é equipado com tecnologia de motorista autônomo que detecta a condição da rodovia e, automaticamente, opera os principais controles do carro, incluindo direção, freio e aceleração. Os veículos podem operar com modo totalmente automático nas ruas, entrar no trânsito, trocar de pistas e manter uma distância segura dos outros carros.


A bordo, durante o primeiro teste estavam o prefeito de Kanagawa, cidade próximo de Tokio, e o vice-presidente mundial da Nissan. Em seguida, jornalistas puderam andar no carro.

“A Nissan procura segurança, mais conforto e tecnologia que respeite o meio ambiente”, disse o vice-presidente da Nissan. “Por meio desses testes em rodovia, esperamos avançar no desenvolvimento tecnológico, com o desafio de disponibilizar logo veículos com motoristas autônomos. Quando iniciamos um novo projeto, é necessário um grande esforço para ganhar e entender todas as variáveis envolvidas. Conseguimos conduzir esse importante teste na via expressa Sagami, e ficamos agradecidos pelo grande suporte oferecido pela prefeitura de Kanagawa”, concluiu o executivo.

O teste é um passo a mais para ajudar a Nissan no desenvolvimento do sistema de motorista autônomo com o objetivo de estar pronto para ser comercializado a partir de 2020.