Visitamos a fábrica de amortecedores da Monroe

0
2628

O Autozine teve a oportunidade de conhecer as instalações da Tenneco, que é a fabricante dos amortecedores Monroe, líder mundial em amortecedores. A fábrica, que pode ser vista na foto abaixo, fica localizada na cidade de Mogi Mirim, interior de São Paulo, tem 120 mil metros quadrados de terreno, cerca de 30 mil metros quadrados de área construída e produz os amortecedores da Monroe usados tanto em veículos zero km quanto para o mercado de reposição e também os escapamentos da linha Walker.

red Planta Mogi Mirim - Monroe e Tenneco Sistemas de Exaustao

A fábrica faz praticamente todo o amortecedor – compra somente as barras  para fazer as hastes e as chapas de aço para fazer os tubos, porém o material é temperado (tratado com produtos químicos e por temperatura), cortado, polido no caso das barras e tratado e pintado no caso dos tubos internos e externos, e todos os amortecedores são testados, um a um. Se ficar fora do padrão, o amortecedor é descartado! A construção do amortecedor é mais complicada do que parece – são entre 30 a mais de 40 peças, dependendo do modelo ou aplicação – em comum, só os tubos interno e externo, a haste e o óleo.

moroe_oespectrum

 

O resto muda – ponto de fixação, tamanho, as peças internas, tudo é diferente, dependendo do modelo. Até mesmo um carro pode ter amortecedores diferentes quando conta com motores diferentes, 1.0 tem amortecedores diferentes do 1.4 na maioria das vezes – com carga diferente para lidar com o maior peso e a maior velocidade alcançada por exemplo. O amortecedor funciona como uma bomba de óleo: a haste funciona como um pistão no tubo interno, e o óleo tem que passar por orifícios no pistão e pelos discos de controle para cima e para baixo, o que causa resistência. Quanto menores os orifícios, mais duro o amortecedor fica. Por isso tantas peças diferentes – o pistão tem vários discos de aço com diferentes formatos e perfurações, para o pistão subir e descer na velocidade correta para aquele tipo de carro com aquele peso. A montagem do amortecedor tem que ser perfeita – se faltar um dos anéis ou for montado diferente, o amortecedor não funciona da maneira esperada e é descartado no teste feito antes de embalar. E também tem ar ou nitrogênio dentro do amortecedor, o que é necessário para a correta absorção de impactos.

 

Dica: Nunca use amortecedor recondicionado. Ao se recondicionar, não se usam as mesmas peças, mesmo óleo e até deixam sem ar ou gás internamente, o que prejudica completamente o funcionamento, e o consequente desempenho do veículo, tornando o carro instável e perigoso. E sempre troque amortecedores aos pares.

 

A Monroe chegou ao Brasil em 1974 (mas os amortecedores Cofap, vendidos há décadas no Brasil, eram apresentados como tecnologia Monroe!) – e foi fundada em 1916 como Brisk Blast Manufacturing Company, fabricando bombas para enchimento de pneus e 10 anos depois começou a fabricar amortecedores. A Monroe está presente em 14 países com 22 fábricas nas Américas, Europa, Ásia e Oceania, e sua sede é nos Estados Unidos.

RESPONDER

Comente aqui
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.