Quando uma curva custa milhões…

0
1449

Se você fosse proprietário de algo extremamente valioso, digamos, de um dos carros que reconhecidamente pode ser considerado um dos mais caros do mundo, você teria muito cuidado com ele?

Não responda, foi uma pergunta retórica, e a única resposta cabível é “Claro que sim” (afinal você não é imbecil, e muito menos um bilionário).

Só que o dono desta Ferrari 250 TR 1958 não teve muito cuidado, pior ainda, não respeitou como devia uma das curvas mais complexas do mundo, a “Corckscrew” de Laguna Seca. Para quem não a conhece, fica a explicação, trata-se de uma curva em “S”, MAS a primeira perna é bem no começo de uma descida, e o carro fica leve, e a tomada tem que ser feita com muito cuidado para o carro não decolar, já a segunda perna, é angulada, e o piloto sofre uma pressão violenta.

Em suma, é uma curva muito, muito malvada. Como você notou, o vídeo acima é um apanhado de uma sequência de fotos que foi convertido em vídeos pelo pessoal do Autoblog, fonte desta postagem.

Já a TR 250 é uma jóia rara. Apenas 34 delas foram feitas ao longo dos quatro anos de produção, e delas apenas 21 em modelo de competição como o que está no vídeo abaixo. Para que você se situe melhor, um modelo similar a este, mas em cor preta, foi vendido no começo do ano por US$ 12,2 milhões! Esta, do vídeo está avaliada em “apenas” US$ 8 milhões.

Fica o agradecimento ao Andre Passamani, por ter passado a pauta para o Danilo.