Algumas marcas de carro trazem um glamour que dá a tônica dos custos exorbitantes aos carros, com seus valores surreais para qualquer mortal. Uma dessas marcas com certeza é a Rolls-Royce. Balada por muito tempo como a marca mais charmosa e imponente do mundo, eles finalmente vão chegar ao Brasil, em anúncio feito recentemente pelos donos da Via Italia, representante oficial da marca no Brasil. O modelo que será vendido por aqui é o Ghost, um luxuoso veiculo que custa a bagatela de 2 milhões e 200 mil reais. Tudo isso equipado com motor BMW 6.6 V12 com potência de aproimadamente 570 cv de potência.

Nesta matéria da revista Meio & Mensagem, você ve detalhes deste lançamento, que contou com a presença do presidente da marca Torsten Müller-Ötvös e o diretor da Via Italia Chico Longo. Para quem quiser, o vídeo está abaixo:

Curiosamente, o anúncio, importante para a estratégia da marca, foi feito exatamente quando o grande simbolo da marca chamado The Spirit of Ecstasy, completa 100 anos. Trata-se da mulher alada que está presente em todos os veículos da marca. Leiam a história completa:

Uma história que começou em 1911, quando Lord Montagu de Beaulieu (John Walter Edward Douglas-Scott-Montagu) encomendou ao escultor Charles Robinson Sykes, um ornamento para o Rolls-Royce que acabara de receber. Era comum, na época, que os abastados proprietários de automóveis de luxo dessem demonstrações de status e poder, afixando obras de arte sobre o capô.

O nobre inglês tinha um relacionamento secreto com sua secretária Eleanor Velasco Thornton, mas devido às convenções sociais, não poderia se casar com ela. Numa prova de amor, decidiu homenageá-la, solicitando ao artista uma escultura que representasse sua amada sentindo a velocidade do vento e a música do motor. O resultado foi uma figura feminina inclinada para a frente e com o véu esvoaçante às  costas.  A estatueta original tinha o dedo indicador à frente dos lábios, sugerindo o segredo dos amantes, e recebeu o nome de ‘The Whisperer’ (‘A Sussurante’). Logo, o símbolo passou a ser cobiçado por outros proprietários de Rolls-Royce, levando a marca a encomendar ao mesmo escultor um ornamento semelhante para ser colocado acima do tampo do radiador de seus carros junto com as marcas RR. Sykes criou então, ainda em 1911, ‘The Spirit of Ecstasy’ (‘O Espírito do Extase’), tendo como modelo a mesma Miss Thornton. O escultor negociou com a Rolls-Royce, cedendo sua criação à marca, sob a condição de que ele tivesse exclusividade na produção das estatuetas.

Na época, elas eram produzidas uma a uma, pelo processo de cera perdida, e banhadas em prata. Era um acessório opcional, mas a partir de 1939, tornou-se padrão em todos os Rolls-Royce. Até 1951, traziam a assinatura do escultor Sykes. Hoje, as estatuetas são produzidas em níquel polido.

A história da mulher que serviu de musa teve um final trágico. Em 1915, numa viagem com o amante Lord Montagu rumo à índia, o navio em que viajavam foi torpedeado por um submarino alemão. Montagu salvou-se, mas ela faleceu no naufrágio.

Em suma, não é só de carros caros que se fazem uma marca, pois é preciso ter história por trás. E a RR tem isso de todas as maneiras.

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz

Comentários

  1. Divulga! Web! disse:

    Rolls-Royce – Uma história de amor e imponência http://t.co/gQm1DzVJ