A Ford acabou de lançar a vesão 2014 do Fusion Hybrid – o carro mais econômico do país. Sim, um carro desse porte é o mais econômico do país. Mérito do sistema híbrido, que combina um motor a gasolina e um elétrico. O carro sempre usa o melhor propulsor para a ocasião – elétrico no plano, em velocidade constante e até 100km/h, gasolina quando acelerando com mais vigor ou acima de 100km/h.  O carro faz, de acordo com medição do Inmetro,  16,8km/l  na cidade. E tem mais…

Uma das características mais interessantes do carro é que ele “aprende” , via GPS,  conforme o motorista passa diariamente pela sua rota, o melhor para o consumo. Se ele percebe que em determinado local tem uma lombada ou valeta, ele pode desligar a gasolina antes, sempre priorizando o elétrico. Ou mesmo uma descida, ou plano. Em alguns dias, o carro passa a gastar ainda menos, podendo chegar na casa dos 19 ou 20 km/l. Realmente inovador.

Clique aqui para ler mais

Alem disso, o Fusion Hybrid conta com adaptive cruise control – um piloto automático que freia e acelera sozinho, limitado a velocidade que o motorista determina. Por exemplo, dá pra entrar em uma grande avenida, como a 23 de Maio em São Paulo, limitar a 70 km/h e deixar que o carro acelere e freie sozinho, de acordo com o tráfego. E ao chegar, dá pra usar o Park Assist para fazer a baliza. E espera, o carro fica mais legal ainda…

O carro tem detecção de aproximação – quando o carro da frente reduz a velocidade rapidamente, o carro te avisa com alarme (abaixando o som do carro) e pisca luzes vermelhas. Tem 8 airbags. Tem ABS e controle de tração. Tem o acabamento da versão top, a Titanium, com rodas aro 18, couro, ar condicionado digital de zona dupla (dá pra deixar um lado do carro mais frio que o outro)… o pacote de equipamentos é imenso.

O motor a gasolina é um 2.0 de 145cv, e o elétrico é um de 88kw, o que é equivalente a 120cv. A potência total é de 190cv (não é a somada,  pois depende de uma série de fatores, por exemplo o carro só é elétrico até 100km/h). Mesmo assim, o carro acelera de 0 a 100 em menos de 10 segundos. Ecológico e rápido.

O câmbio é um CVT, com relações de marcha continuamente variáveis – por não ter marchas fixas, o carro pode ficar sempre na melhor faixa de rotação do motor para a velocidade, traduzindo em melhor consumo (já ouviu falar que aquele Honda Fit antigo era econômico? tinha um câmbio desses). Isso, além de ajudar no consumo, também ajuda a acelerar mais rápido, pelo motor sempre poder entregar a potência máxima o tempo todo, sem perda de tempo.

O Fusion Hybrid também conta com um sistema que te avisa se você estiver trocando de faixa sem dar seta, o que pode denotar que você está pegando no sono ao volante. Quando acontece, o volante vibra e te avisa que você está caindo no sono (ou cometendo uma infração!)

O desenho do carro, como pode ser visto nas fotos, dispensa comentários. É tão belo que parece até que pulou uma geração em relação ao anterior, que não era feio! Como era de se esperar, o silêncio impera a bordo – ouve-se mais o ar condicionado soprando ou o rolar dos pneus, mas o motor elétrico é inaudível, e o motor a gasolina apenas murmura. Só se faz notar ao pisar fundo.

Em se tratando de emissões de poluentes, o Fusion Hybrid está muito a frente da legislação que ainda vai entrar em vigor em 2015 – emite apenas 23% do limite de monóxido de carbono, 15% dos hidrocarbonetos não-metano e ótimos 7% dos óxidos de hidrogênio por km rodado – ou seja – bem menos poluente do que o que será exigido por lei em 2015. Baixo consumo, baixas emissões.

O custo das revisões é fixo – e custa, somado, 3508 reais, da primeira (10.000 km) até a de 60 mil km (ou 3 anos, o que ocorrer primeiro). A primeira revisão custa 312 reais, nada exorbitante para um carro dessa faixa de preço. O carro tem 3 anos de garantia,  e a bateria, item que pode gerar preocupação, tem 8 anos de garantia – e a vida útil esperada para todo o sistema é de ao menos 240 mil km.

O porta-malas, como pode ser visto abaixo, tem 392 litros. A capacidade é menor do que a do modelo a gasolina ou flex, por conta da bateria, mas ainda assim pode levar uma boa quantidade de bagagem. A bateria pesa apenas 42kg (confesso que eu esperava muito mais) e é de íons de lítio, de última geração, que permite ser carregada em “pedaços”, sem perda da eficiência, diferente das baterias antigas, como de celulares antigos, que em 1 ano perdiam a eficiência. O motor pode carregar a bateria, assim como a energia da frenagem, que é 95% aproveitada para recarregar a bateria.

O carro também conta com a tradicional bateria de 12v – no caso extremo da gasolina acabar e da bateria também, dá pra colocar gasolina e dar partida no carro, e começar a carregar a bateria.

Abaixo o selo do Inmetro, mostrando o Fusion Hybrid como categoria A em consumo.

As belíssimas rodas aro 18, calçadas em pneus 235/45, que garantem boa estabilidade ao carro, auxiliado pelo controle de tração e estabilidade.

Abaixo, fotos do motor a gasolina

A tela multimídia do carro, com todo o controle de ar condicionado, rádio,  telefone (quando conectado a um aparelho celular), GPS,  configuração do carro e especialmente como o carro está rodando – elétrico ou a gasolina. Ainda não abandonou o CD, diferente do MyLink da Chevrolet, que já o abandonou.

O painel de instrumentos tem, além do velocímetro no centro, telas com informações do veículo, especialmente quanto você está carregando a bateria, e do outro lado, mostra as “folhas de consumo”, que é um galho com folhas verdes crescendo quando você dirige de maneira eficiente e consome pouco. Já quando acelera, as folhas vão caindo… o que causou uma reação engraçada – quando bati o olho no painel e vi uma folhinha caindo, tirei imediatamente o pé do acelerador, com dó da folhinha! Deu certo né?

E, quando desligamos o carro, uma simpática mensagem aparece: Obrigado por conduzir um veículo híbrido. Abaixo, a tela central do Fusion Hybrid, que mostra também como o carro está sendo utilizado, seja na gasolina ou elétrico, o que está tomando energia, e o motivo de usar gasolina.

Quanto que custa isso tudo? R$124.990. R$ 124.990. Isso é R$10.000 a mais que o modelo Titanium, que é só a gasolina.  Em quanto tempo se economiza os 10 mil reais? Coisa de 2 anos, se rodar 1000 km por mês de maneira bem econômica. Quanto custam os concorrentes? Só existem 2 outros veículos híbridos no mercado, o Toyota Prius, que entrega menos equipamentos, potência e requinte, pouco mais de 120 mil reais. O Lexus CT200h, entrega requinte (é a divisão de luxo da Toyota), porém menos equipamentos e potência, 149 mil reais. Ambos tem a mesma mecânica.

Olha lá a mensagem, do lado direito!

Painel mostrando o consumo. Não dava para ser melhor que isso, no trecho que fizemos, que foi cerca de 30km onde acabamos abusando um pouco do acelerador. Mesmo assim, se fosse um carro com motor grande para o porte do carro, não faria mais do que 7 por litro. O carro tinha rodado, no dia 197.2 km em modo elétrico e 55.9 a gasolina.

Aqui vai a Ficha Técnica do Fusion Hybrid?

NOVO FORD FUSION HYBRID
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Tipo: ………………………………………….. sedã grande
Nº portas: …………………………………… 4
Nº passageiros:…………………………… 5
Motor: ……………………………………….. 2.0 I4 HEV Ciclo Atkinson iVCT
Número/disposição cilindros: ………… 4 em linha
Cilindrada (cm3
):………………………….. 2.0 L (1.999 cm3
)
Diâmetro do cilindro (mm): ……………. 87,5
Curso dos embolos (mm):…………….. 83,1
Válvulas:…………………………………….. 16
Taxa de compressão:…………………… 12,3:1
Combustível: ……………………………….Gasolina
Rotação de marcha lenta: …………….. 1.160 rpm
Rotação máxima: ………………………… 6.000 rpm
Potência máxima:………………………… 145 cv @ 6.000 rpm
Torque máximo: ………………………….. 177 Nm @ 4.250 rpm
Motor elétrico
Potência máxima:………………………… 88 kW
Torque máximo: ………………………….. 240 Nm
Potência máxima combinada: ……….. 190 cv
Bateria de tração: ………………………. íon-lítio
Desempenho
Aceleração 0 a 100 km/h (s): ………… 9,3
Consumo (km/l)
Urbano: ……………………………………… 16,8 (E22)
Estrada:……………………………………… 16,9 (E22)
(norma INMETRO/CONPET)
Transmissão
Modelo: ………………………………………Automática e-CVT (1 a frente e 1 à ré)
Relação final: ……………………………… 2,57:1Freios
De serviço: ………………………………….A disco nas 4 rodas com ABS e distribuição
eletrônica de frenagem, bomba de vácuo elétrica
e frenagem regenerativa para recuperação de
energia
De estacionamento: …………………….. elétrico
Suspensão
Dianteira:……………………………………. Independente tipo (SLA) Short–Long Arm,
com barra estabilizadora, amortecedores
pressurizados e molas helicoidais
Traseira:…………………………………….. Independente tipo ControLink com barra
estabilizadora, amortecedores pressurizados
e molas helicoidais
Direção
Tipo: …………………………………………..Pinhão e cremalheira assistida eletricamente
Rodas: ………………………………………. 18″x8″
Pneus:………………………………………..P235/45 R18
Dimensões (mm)
Distância entre-eixos:…………………… 2.850
Comprimento total:………………………. 4.871
Largura com espelhos:…………………. 2.130
Largura com espelhos dobrados:…… 1.911
Altura:………………………………………… 1.474
Balanço dianteiro: ……………………….. 998
Balanço traseiro: …………………………. 1.087
Pesos (kg)
Peso em ordem de marcha: ………….. 1.650
Peso bruto total: ………………………….. 2.036
Capacidade de carga: ………………….. 386
Peso máximo no eixo dianteiro: …….. 1.095
Peso máximo no eixo traseiro: ………. 1.030
Capacidades (L)
Porta-malas:……………………………….. 392
Tanque de combustível:……………….. 52,7

Agradecemos a Sam Shiraishi, do blog A vida como a vida quer, pelo convite. Clique aqui para ler o post no blog dela!

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz