Já percebeu que estamos numa das piores épocas pra se gostar de carro? Combustível, seguro e estacionamentos mais caros do que nunca. Radares inexplicavelmente lentos e pedágios por toda parte, sem contar os engarrafamentos. A última década foi marcada pela evolução dos interiores, que em muitos casos se tornaram verdadeiros centros de entretenimento. Mesmo com toda a evolução mecânica e tecnológica ainda não encontraram uma solução para o trânsito das cidades, que está cada vez pior. Em muitos países é comum o uso de transportes coletivos como o metrô, mas sabemos muito bem que isso não funciona por aqui, assim como muitas outras coisas…

Me lembro que em 1994, a proporção de habitantes X carros era na ordem de 11 ou 12:1. Em 2000, era 8,4 pra cada carro e chegou a 5,5:1 ano passado. Em alguns estados, como São Paulo, já apresentam menos de dois habitantes por veículo – média de países desenvolvidos, como Estados Unidos e Alemanha. Está chegando num ponto insustentável e em muitos casos andar de carro deixou de ser algo prazeroso e se tornou uma obrigação.

Todos sabemos de alternativas, mas a inviabilidade das mesmas pra maioria das pessoas justifica a continuidade do caos no trânsito. Mas há alternativas bem interessantes, como o Skate e Scooter elétricos.

O primeiro mantém basicamente a mesma estrutura de um skate comum, com o diferencial de ser movido por bateria através de um controle sem fio que modula aceleração e frenagem. A velocidade máxima é em torno de 40Km/h e a bateria dura cerca de 2 horas. E vem em dois modelos, street para uso em terrenos planos e offroad, com alterações para uso em terrenos acidentados, como nos pneus e suspensão. Ambos possuem 15 “shapes” para personalizar o visual do mesmo.

A Scooter mantém as mesmas especificações de velocidade e duração de bateria do Skate, mas é controlada pelo guidão e o condutor pode pilotar em pé ou sentado.

Os preços variam de R$1690,00 a R$2199,00 (Skate Steet e Scooter, respectivamente) e seu representante no Brasil é a TwoDogs.

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz

Comentários

  1. epa disse:

    Na minha cidade ( Fortaleza) além se ser muito quente — o que torna inviável a foto acima onde um homem de paletó usa um skate — é também bastante perigoso , haja vista que quase não há ciclovias ou algo parecido para o uso de alternativas na mobilidade urbana.

  2. Daniel Matos disse:

    Quando nem transportes coletivos são uma solução -http://autozine.com.br/ecologicos/quando-nem-transportes-coletivos-sao-uma-solucao

  3. CLAUDIO disse:

    COMO DIRIA AQUI NO CEARÁ, VOCÊ É ABESTADO MEU FI? SE ATÉ A PÉ É DIFICIL ANDAR NESSE CALOR, IMAGINA SE EQUILIBRANDO NUMA MERDA DESSA. O POVO É MUITO SEM NOÇÃO. ISSO PODE ATÉ FUNCIONAR NUM PAÍS COM CLIMA TEMPERADO, MAS NO NOSSO É MUITO DIFÍCIL. SEM CONTAR A FALTA DE EDUCAÇÃO DAS PESSOAS NO TRANSPORTE PÚBLICO. É MUITO PEDINTE, SOM TROANDO NOS OUVIDOS, CALOR, MUITO APERTO, FALTA DE EDUCAÇÃO DE MUITOS MOTORISTAS E COBRADORES, ETC.
    ACHO QUE SE DEVERIA TER MAIS FISCALIZAÇÕES NAS OBRAS IRREGULARES. PODE TER CERTEZA QUE SÓ COM ISSO SE MUDARIA MUITA COISA NO TRÂNSITO. NÃO TEMOS CALÇADAS, FALTA ÁRVORES, MUITAS LOJAS SEM ESTACIONAMENTO ADEQUADO, FALTA DE RESPEITO DE MOTORISTAS QUE ESTACIONAM EM LOCAL PROIBIDO, ETC.
    SÓ CULPAR O CIDADÃO POR QUERER UM CARRO É DE MAIS. ISSO É REFLEXO DO DESPREPARO DOS GOVERNANTES QUE SEMPRE BOTAM A CULPA NOS OUTROS. TÁ NA HORA DO BRASIL PROCURAR A SOLUÇÃO PARA OS SEUS PROBLEMAS E NÃO FICAR PROCURANDO SOLUÇÃO EM EXEMPLOS COM REALIDADES DIFERENTES.
    O BRASIL IRIA SE SURPREENDER COM A SUA CAPACIDADE QUANDO COMEÇAR A RESOLVER SEUS PRÓPRIO PROBLEMAS E SERMOS EXEMPLO PRA AMÉRICA LATINA E ÁFRICA QUE AI SIM TEM REALIDADES MUITO PARECIDAS COM A NOSSA.