Você pode não perceber alguns, e até se incomodar com outros. Mas muitos modelos carregam elementos de design por várias gerações, como marca registrada do modelo ou da marca. Muitas vezes tais elementos ajudam os fotógrafos de “segredos” (futuros lançamentos desfarçados em teste) a identificar modelos.

Citarei alguns casos que talvez você nunca percebeu.

Volkswagen Golf

O único VW a vender mais que o Fusca possui na sua “coluna C” bastante larga, sua marca registrada. Apesar de nas últimas gerações ela ter encolhido um pouco, ainda é marcante, apesar de atrapalhar na visibildade.

Volkswagen Gol

Dois detalhes que o Gol preservou ao longo de suas gerações foram a traseira bastante inclinada (que ele pegou emprestado do primeiro Scirocco) e os faróis, que na maioria das gerações eram menores e a grade, maior.

A identidade do Gol através das gerações (clique para ampliar)

Fiat

Esse é mais fácil. Você certamente já percebeu que muitos Fiats tem um discreto (outros nem tanto) “bigode” logo acima de onde fica a placa. Além de compor o visual, também serve de entrada de ar.

os "bigodes" da Fiat (clique para ampliar)

Peugeot

Começou com 206 e ficou bonito, mas acho que o pessoal de Souchaux empolgou e exagerou na aplicação do “bocão” e nos faróis “esticados”, alguns casos não ficaram tão bons assim. Mas há quem goste…

Mercedes-Benz

A estrela no capô e a grade pronunciada e cromada são marcas registradas da marca alemã, e dispensam apresentações. Mas uma curiosidade é a lanterna frisada de modelos mais antigos, que além do aspecto de robustez, fora desenvolvida com o objetivo de se tornarem mais visíveis quando cobertas por neve ou poeira. Após isso vários fabricantes adotaram a idéia, os quais podemos citar a Volkswagen com o Brasília, a Ford com o Corcel II e a Chevrolet com o primeiro Monza.

BMW

Assim como a estrela e a grade pronunciada são marcantes em Mercedes, os faróis redondos e a grade bipartida em formato de pulmão são marcas registradas da BMW. Mas há um corte na coluna C em todas as BMW contemporâneas que se chama Hofmeister-Kink, melhor descrito pela imagem abaixo:

Imagem: New Media Campaigns

Segundo a BMW, é um recurso de design que indica que o modelo possui tração traseira e que os futuros modelos de tração dianteira não terão tal recurso, que na minha opinião é discreto e elegante.

Aplicações descuidadas

É bom que os modelos de uma marca tenham características de design em comum, como acabamos de ver. Mas deve-se tomar muito cuidado, pois tudo que é bom, quando em excesso torna-se ruim. Vimos isso nos anos 90 quando a Ford resolveu arredondar todos os seus modelos e enquanto alguns modelos como Explorer e Fiesta não ficaram muito harmoniosos, o Taurus ficou tão estranho (pra época) que suas vendas caíram e ele perdeu para sempre o posto de mais vendido de sua categoria. Hoje tenho a impressão de que os modelos estão perdendo personalidade, se tornando muito parecidos entre si. O New Civic quando lançado logo fez com que vários fabricantes copiassem seu estilo e logo este se tornou “batido”, comum. E vejo fabricantes como Volkswagen e Chevrolet adotando suas grades em praticamente todos os modelos tornando-os perigosamente semelhantes e em alguns casos, “matando” com o design de um modelo. Será que vale a pena comprometer um design só por conta de uma grade?

Esqueci algum?

Você pode ter sentido falta de algumas marcas como Porsche e Aston Martin mas ao meu ver os detalhes e recursos de design são os próprios modelos, com sutis alterações ao longo dos anos.

E você? Se lembra de mais algum caso? Comente!

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz

Comentários

  1. Divulga! Web! disse:

    Identidades visuais de marcas e modelos http://t.co/jpmLJJ1

  2. Hélio disse:

    Sensacional!!!!

  3. Diniz Henrique Duarte disse:

    Acredito que nos dias de hoje os carros não tem mais aquela paixão de antigamente,está tudo tão padronizado e igual,tudo só é levado em conta a simples fabricação em série,isso vale para as marcas mais tradicionais, todos os carros com grades iguais.

  4. Identidades visuais de marcas e modelos de carros -http://autozine.com.br/diversos/identidades-visuais-de-marcas-e-modelos

  5. Joás disse:

    No gol, não vejo identidade entre as gerações. A característica apresentada para o farol não é identidade, como o sua prórpia descrição diz, na maioria das versões, logo não são todas.
    E a traseira inclinada??? As versões seguintes nem se comparam com a inclinação da priveira versão e não são diferentes dos modelos corsa e pálio.
    Aliás desafio alguém a diferenciar as primeiras vesões desses carros (gol bola, pálio e corsa) de uma certa distância.

  6. Luiz Yogui disse:

    RT @autozine: Identidades visuais de marcas e modelos http://t.co/RGpJSt3F

  7. Vaca Fria disse:

    Esta comparação está muito bem feita. Gostei.

  8. Angelo disse:

    Respondendo sua pergunta “esqueci algum?”, sim e não, pois citou a chevrolet e sua recente paixão por grades, mas faltou mostrá-las para corroborar com sua tese, aliás, verdadeira. Aquela grade em forma de “boca de cachorro bravo” ajudou a enterrar a blazer e s10, anteriormente possuidoras de um design bastante harmonioso.

  9. Identidades visuais de marcas e modelos de carro – http://t.co/Jj56mQyA (via @autozine)