Tivemos o prazer de avaliar, por cerca de 10 dias, o Citroën DS3. Um autêntico Pocket Rocket. O que é um Pocket Rocket? A tradução direta é “foguete de bolso”, expressão utilizada (na versão em Inglês), para designar carros pequenos com muita potência. E é isso que o DS3 é – um pequeno carro, baseado no C3, com apenas 1165 kg e 165 cavalos de potência, garantidos pelo pequeno motor 1.6 turbo.

E o que isso significa? Diversão. Muita diversão. O motorzinho, desenvolvido em parceria com a BMW, entrega 24,5kgfm de torque a 1700 rpm, e tem a função overboost – que dá mais pressão no turbo a partir da 3a marcha, entregando então 26.5kgfm de torque. A aceleração de 0 a 100 é feita em 7s9, e o cambio de 6 marchas tem engates justos e alavanca com curso curto, o que deixa as trocas rápidas e divertidas.

O desenho do carro é belo, como pode ser comprovado pelas fotos, e chama muita atenção na rua. A pintura branca das rodas também é bonita, mas não dura 1 dia limpa ao rodar com o carro, mas vale a pena.

Abaixo, o painel, simples, que conta com conta-giros, velocímetro até 220km/h (pouco para um carro que alcança, segundo números de fábrica, 219km/h), marcadores de combustível e de temperatura. Conta também com limitador de velocidade e indicador de troca de marcha, útil para economia de combustível (como pode ser visto na foto abaixo). A pegada no volante é correta para um esportivo – embora o volante seja o mesmo da Citroën Aircross. (os 200 marcados no painel abaixo, no lado direito, são o limite que eu tinha colocado, o carro está a 110)

No centro do painel, o display que é dividido pelo rádio e pelo computador de bordo, que conta com informações de distância percorrida, consumo e autonomia.

Ar condicionado digital, e, como todo Citroën, fortíssimo.

Abaixo, o painel em detalhe, dando a “varredura” na hora de ligar.

Abaixo, o acabamento do volante, em couro perfurado, assim como o dos bancos.

Acabamento do painel imitando fibra de carbono, bem esportivo e bonito.

O carro também tem o perfumador de ambiente, novidade que equipava o C4.

O desempenho do carrinho, como ja disse anteriormente, é muito divertido. Acelerações rápidas, curvas muito bem contornadas com ajuda dos pneus Aro 17 205/45, e velocidade máxima de 219km/h. A parte que eu achei chata é que o motor é quase inaudível… ótimo para o conforto, um pouco sem graça na hora de acelerar. Melhor assim, em longas viagens não cansa. É tanto silêncio, que ao andar atrás de um carro V8 (um Mustang no caso), eu ouvia mais o motor do carro a frente do que o meu próprio, ambos em franca aceleração.

O preço? R$ 79.970. Mais a pintura, 1240 no caso das perolizadas. A cor mais chamativa, a Amarela, é sólida, então não tem esse acréscimo. O único opcional é o banco de couro, como na unidade avaliada, que custa R$2900. O modelo testado custa R$84110. Se vale? Quase nada no mercado tem esse desempenho por preço menor, só o Punto Turbo.  Mini Cooper, Audi A1 e o Fusca, todos com mais potência (entre 185 e 200) custam bem mais. O Fusca começa em 76.600, mas o valor praticado nas revendas é bem mais alto, o A1 parte de mais de 100 mil e o Mini Cooper S também.  É questão de testar e escolher.

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz