31
mar
12

Avaliação – Chevrolet Cruze 2012

Postado em Avaliação por Danilo Ferreira - Comentários

A Chevrolet nos cedeu, por 1 semana, um Chevrolet Cruze LTZ para avaliação, e tivemos a oportunidade de dirigir em trânsito pesado e leve na cidade, e também na estrada – e aqui estão nossas impressões. O modelo avaliado, o mais completo, conta com um motor 1.8 com 140/144cv  e  17,8/ 18,9 kgfm de torque (gasolina /etanol, respectivamente), e câmbio automático de 6 marchas, com opção de trocas sequenciais na alavanca.  Conta também com freios ABS com EBD, controle de tração e airbags dianteiros e laterais.

O design do carro, como mostram as fotos, é lindo. Linhas modernas, atuais e bem esportivas – o carro se sobressai e chama a atenção na rua – mesmo já sendo vendido a alguns meses, ainda tem cara de novidade.

Clique aqui para ler mais

O motor é mais do que suficiente para empurrar o modelo – o carro acelera rapidamente, com vontade. Na estrada é onde ele se sente melhor, desenvolvendo altas velocidades com facilidade – e ainda tem a 6a marcha, que deixa o carro bem mais econômico, sendo possível manter 120km/h com pouco mais de 2600 giros.  Pesando 1436kg, a relação peso/potência (com álcool / etanol) é de cerca de 10kg/cv – significando agilidade.

Acima, as belas rodas do modelo LTZ, calçadas em pneus aro 17, de medida 225/50. A despeito dos largos pneus, a direção é extremamente macia nas manobras, a ponto de um carro com direção hidráulica (o meu mesmo) parecer duro depois de usar o Cruze por 1 semana. Ótimo na cidade pela agilidade e para as manobras.

O interior é bem acabsado, peças bem encaixadas e um painel realmente bonito, que conta também com computador de bordo. O volante conta com os comandos do piloto automático, rádio e telefone (você pode ligar seu telefone com bluetooth no modelo).  O som é de boa qualidade, e as chamadas podem ser feitas com facilidade. A porta USB e auxiliar do rádio ficam dentro do porta-trecos (atrás do freio de mão), longe dos olhares alheios. O porta treco também faz as vezes de descanso de braço.

Banco traseiro acomoda 3 adultos com conforto. O carro é espaçoso, mas é menor do que o irmão Cobalt – que demonstra ser mais amplo internamente, além de ter mais de 100l a mais de capacidade no porta-malas. Mas mesmo assim, o Cruze é um carro muito confortável.

Abaixo, os controles do ar-condicionado digital – o modelo conta com um ótimo recurso, chamado de Air Quality System – ele liga a circulação de ar interna, cortando a entrada de ar externo quando esse está muito poluído (quem anda em avenidas congestionadas com muitos caminhões sabe da importância disso)

Abaixo, os comandos da central multimídia, que engloba rádio / cd-player / mp3 / navegador GPS. Na mesma tela são informados a hora e a temperatura / velocidade do ar condicionado. Na foto mais abaixo, a tela do sistema multimídia – que infelizmente não é touch, o que dificulta o uso, mas dá para se acostumar com os botões facilmente.

Um dos poucos pontos negativos do carro é a alavanca tipo “pescoço de ganso”, que rouba espaço do porta-malas – o ideal seria uma alavanca pantográfica, que  existia no modelo que o precedeu, o Vectra. O porta-malas pode levar 450 litros – menos que seu irmão mais barato, o Cobalt, mas mesmo assim uma boa capacidade. Mais abaixo, o sistema de abertura interna  – a ser usado no caso, por exemplo, de um sequestro (na minha opinião, este item deveria ser obrigatório em todos os carros!)

Outro ponto negativo, ainda mais em um país com ruas em péssimo estado como o nosso, é o estepe mais fino , feito só para rodar até o borracheiro – de medida 115/70 16, pode comprometer a segurança em uma curva mais fechada, e pode ser um problema em longas viagens em estradas com poucos recursos. Achar um pneu da medida original, 225/50 R17, pode ser difícil em borracharias de algumas estradas.

Abaixo, onde o Cruze se sai melhor, na estrada. Rodamos cerca de 180km de estradas, e o carro anda muito bem, embora o volante extremamente macio passe uma sensação de flutuação. Freios ABS com EBD garantem a segurança, e o carro ainda conta com controle de tração, essencial em pistas com baixa aderência (outro item que deveria ser obrigatório)

Abaixo, o painel indicando a marcha no modo manual, e a baixa rotação ao rodar. O consumo do modelo é de cerca de 7.6km/l no etanol (ou álcool) combinando cidade e estrada.

Abaixo a indicação de sistema isofix para cadeirinhas infantis

O carro, completo como o avaliado, custa R$80.890 – o único opcional é a pintura, que custa 990 reais. O Cruze começa em 67.900, e já conta com airbag/abs/airbag lateral – o que é um bom custo/benefício para a categoria.

Compartilhe este artigo:
  • Twittar este post
  • del.icio.us
  • Compartilhar no Uêba
  • Compartilhe no Orkut
  • dihitt
  • gafanhoto
  • linkk
  • Live
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • GBuzz

Comentários

  1. Divulga! Web! disse:

    Avaliação – Chevrolet Cruze 2012 http://t.co/UWr7RkXT

  2. Paulo Javé disse:

    Avaliação – Chevrolet Cruze 2012 http://t.co/YZviVwWQ

  3. Frutosdias disse:

    Avaliação – Chevrolet Cruze 2012 na Autozine http://t.co/pBbESJFd

  4. apaxe disse:

    feliz pascoa

  5. RUI CARLOS MAIA SILVA disse:

    Conforme citado na avaliação, um ponto extremamente negativo, devido as condições e falta de segurança das estradas, é o estepe mais fino medindo 115/70 16. Perdi o pneu num dos vários buracos, danifiquei a roda e não achei serviço especializado para consertar a roda e nem pneu 225/50 R17, e sem saber da limitação de 80 km de distancia do estepe, rodei 200 km comprometendo minha segurança, mesmo respeitando a velocidade de 80 km/h, que aliás o próprio manual do carro alerta que o estepe pode afetar a dirigibilidade; ou seja, se ocorrer um acidente a culpa é do consumidor, afinal, foi avisado. Interessante é que o Cruzer na Argentina tem estepe normal. Em resumo, o estepe é ridículo e DESCARTÁVEL. Se querem aplicar as tendências dos EUA e de outros mercados internacionais, comecem pelo preço, lá o carro é muito melhor e custa a metade do preço. Com a palavra as autoridades de transito e as organizações de defesa do consumidor.

  6. MANOEL RAIMUNDO DOS SANTOS disse:

    ESTOU ENCANTADO QUERO ESPERIMENTAR ESSE CARRO NAS ILHAS DE ITAPARICA

  7. […] praticamente toda sua linha de produtos (só sobraram Celta e Classic), lançou 4 sedãs – Cruze, Cobalt, Sonic e, mais recentemente, o Prisma. E o maior deles é o Cobalt. Embora o Cruze seja de […]